sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Encomenda!





Ontem, finalmente recebi Never Let Me Go (na versão portuguesa: Nunca Me Deixes), de Kazuo Ishiguro. Decidi encomendar este livro logo depois de terem anunciado o nome do autor como o vencedor do Prémio Nobel da Literatura de 2017. Ainda assim, antes disso, eu queria ler um romance de Ishiguro, portanto, fiquei ainda mais entusiasmada depois da semana dos Prémios Nobel. Escolhi este romance, porque é um dos mais adorados pelo público e, depois, pretendo ver a adaptação cinematográfica.


Como podem ver pelas imagens, o livro chegou em boas condições e demorou, pelo menos, uma semana e meia a chegar. As minhas encomendas literárias costumam demorar duas semanas ou um pouco mais e fiquei muito contente por este livro ter chegado mais cedo do que é habitual.





Sinopse da edição portuguesa retirada do site da Bertrand:


Kazuo Ishiguro foi elogiado no Sunday Times por «ampliar as possibilidades da ficção». Em Nunca Me Deixes, que se encontra certamente entre as suas melhores obras, conta-nos uma extraordinária história de amor, perda e verdades escondidas.

Kathy, Ruth e Tommy cresceram em Hailsham - um colégio interno idílico situado algures na província inglesa. Foram educados com esmero, cuidadosamente protegidos do mundo exterior e levados a crer que eram especiais. Mas o que os espera para além dos muros de Hailsham? Qual é, de facto, a sua razão de ser?

Só vários anos mais tarde, Kathy, agora uma jovem mulher de 31 anos, se permite ceder aos apelos da memória. O que se segue é a perturbadora história de como Kathy, Ruth e Tommy enfrentam aos poucos a verdade sobre uma infância aparentemente feliz — e sobre o futuro que lhes está destinado.

Nunca Me Deixes é um romance profundamente comovedor, atravessado por uma percepção singular da fragilidade da vida humana.
CRÍTICAS DE IMPRENSA

"(...) a verdade é que este livro não é, apesar dos clones, seus protagonistas, nem estapafúrdio, nem reduzível a ficção científica (se é que essa categoria é, como alguns defendem, artisticamente inferior). Em poucas palavras, Ishiguro procura explorar, através das figuras de Kathy, Ruth e Tommy (são eles os referidos clones, concebidos como meros doadores de órgãos), as fronteiras do humano. E fá-lo de uma maneira muito curiosa, usando como lupa coisas das mais humanas que os humanos podem ter: recordações da infância, sentimentos, impulsos artísticos, traumas, segredos. Será que estes clones têm alma?"
Humberto Brito

"Já considerado como a sua melhor obra depois de 'Os Despojos do Dia' o livro 'Nunca me Deixes' foi anunciado como um dos seis finalistas do Prémio Booker deste ano. [...] O registo, em tom de 'thriller' contemporâneo pode estar longe do dos mais conhecidos romances históricos de Ishiguro, mas as questões são as mesmas: a solidão, o desajuste em relação ao mundo e a recusa em encarar uma realidade dura mas por demais evidente."
Vanessa Rato, Público, Mil Folhas




E vocês? Já leram algum livro deste autor?


Sem comentários:

Enviar um comentário