domingo, 29 de outubro de 2017

E o vencedor do Man Booker Prize 2017 é...

No dia 13 de setembro, foi divulgada a lista dos 6 finalistas do Man Booker Prize de 2017, tendo como integrantes os americanos Paul Auster, Emily Frindlund e George Saunders. Os restantes finalistas, Mohsin Hamid (que também é paquistanês), Fiona Mozley e Ali Smith são do Reino Unido.





The Man Booker Prize 2017 shortlist
Livros finalistas do Man Booker Prize. Imagem retirada do site dedicado ao prémio.




No dia 17 de outubro, George Saunders, autor de Lincoln in the Bardo foi o nome anunciado como o vencedor da 49.ª edição do prémio. O americano de 58 anos foi o escolhido por ter escrito um romance que revela "uma narrativa espirituosa, inteligente e profundamente comovente". Acrescentou-se que "esta história de almas assombradas na vida no além do jovem filho de Abraham Lincoln criou paradoxalmente uma evocação enérgica e nítida das personagens que povoam o outro mundo".




Foto de The Man Booker Prize.
George Saunders ao receber o Man Booker Prize de 2017.




O escritor, numa entrevista à revista TIME, disse que ele não queria escrever sobre Lincoln, mas nunca se esquecera da história que ouvira há uns anos atrás de Lincoln a entrar na cripta do filho.





Edição portuguesa de Lincoln in the Bardo.
Sinopse retirada do site da Bertrand: Lincoln no Bardo é o primeiro romance de George Saunders. Nestas páginas, o autor revela-nos o seu trabalho mais original, transcendente e comovedor. A ação desenrola-se num cemitério e, durante apenas uma noite, a história é-nos narrada por um coro de vozes, que fazem deste livro uma experiência ímpar que apenas George Saunders nos conseguiria dar. Ousado na estrutura, generoso e profundamente interessado nos sentimentos, Lincoln no Bardo é uma prova de que a ficção pode falar sobre as coisas que realmente nos interessam. Saunders inventou uma nova forma narrativa, caledoscópica e teatral, entoada ao som de diferentes vozes, de modo a fazer-nos uma pergunta profunda e intemporal: como podemos viver e amar sabendo que tudo o que amamos tem um fim?






O Man Booker Prize é patrocinado pelo Man Group e o vencedor recebe £50.000, enquanto cada finalista recebe £2.500.
Também há uma versão que abrange outros países, o Man Booker International Prize. Este ano, foi atribuído ao israelita David Grossman, o autor de A Horse Walk into a Bar. É narrado o último espetáculo de um comediante de stand-up, Dovaleh Gee. O júri sublinhou "a prontidão de Grossman em correr riscos emocionais, bem como estilísticos: cada frase conta, cada palavra é importante neste exemplo supremo da habilidade do escritor". O prémio de £50.000 foi dividido com a tradutora da obra, Jessica Cohen.





Edição inglesa.




Sinopse traduzida por mim (retirada do site do Man Booker Prize): O cenário é um clube de comédia numa pequena cidade israelita. Uma audiência veio contando com uma noite de divertimento, mas veem um comediante a desmoronar-se no palco; um ato de desintegração, um homem a desfazer-se perante os olhos deles como se tivesse sido uma escolha. Eles poderiam ter-se levantado e saído, ou vaiado e assobiado e tirá-lo do palco, se não estivessem interessados em ver de relance o inferno pessoal dele.
Dovale Gee, um comediante de stand-up veterano- fascinante, excêntrico, repelente- expõe uma ferida com a qual ele tem vivido há anos: uma escolha fatal e macabra que ele teve que tomar entre as duas pessoas que lhe são muito querida.



O que acharam das escolhas? Já leram algum livro destes vencedores e dos finalistas?
Eu fiquei curiosa em relação ao livro de George Saunders!






Sem comentários:

Enviar um comentário