sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Opinião: A Court of Mist and Fury, de Sarah J. Maas



Aviso: A opinião não tem spoilers, mas talvez seja melhor ler primeiro a opinião acerca do livro anterior.


A Court of Mist and Fury, de Sarah J. Maas, é o segundo volume de uma trilogia de Fantasia que conta com um mundo composto por Faes, criaturas mágicas extremamente poderosas, humanos e monstros horrendos. Conta, ainda, com uma escrita fenomenal, um conjunto de personagens brutal e uma história avassaladora. É, sem dúvida alguma, um livro muito superior em comparação ao primeiro, A Court of Thorns and Roses, que também adorei imenso.


Neste livro, seguimos a vida de Feyre depois de ter sofrido imenso nas mãos de Amarantha, uma mulher Fae que praticamente controlava todas as cortes mágicas. Após a queda do reinado de terror da vilã, Feyre tenta aprender como viver no meio mágico dos Faes ao lado de Tamlin, mas tem uma depressão profunda e acorda várias vezes durante a noite por causa dos pesadelos.
É nos piores momentos que Rhysand, o High Lord (tradução literal: Grande Senhor) da Corte da Noite, intervém e ajuda Feyre a perceber que ela é forte e que ninguém manda nela a não ser ela própria. É também com o apoio de Rhysand que Feyre explora os seus novos poderes e a sua nova capacidade física, que irão ser fulcrais na missão de salvar o mundo das garras do Mal.


Não posso revelar muito mais acerca do enredo, pois perderia o seu brilho se tal o fizesse. No entanto, posso dizer que este livro é maravilhoso e aborda assuntos muito importantes, acabando por ser feminista, por exemplo. Mostra, de forma excecional, que a mulher não é um brinquedo nas mãos do homem, pois ela própria é uma arma e dona do seu destino. A mulher é que faz as suas escolhas e sabe o seu valor, não o homem. O que o homem pode fazer é respeitá-la e admirá-la. E tudo isto foi muito bem explorado na relação entre Feyre e Rhysand.
Mostra, ainda, que ter depressão não é motivo de vergonha e que o caminho para uma vida melhor não precisa de ser solitário e obscuro. Explora-se, também, a força do amor e da amizade, bem como a importância da individualidade, do respeito e da família.
É um livro repleto de mensagens fortes e fundamentais e a exploração das mesmas foi feita com sucesso, uma vez que o desenrolar da ação ocorre num ritmo alucinante, mas que, ainda assim, deixa uma marca profunda no leitor.

Um outro elemento que, sem dúvida alguma, também deixa uma marca no leitor é o leque de personagens que Maas criou magistralmente. Todos têm um pouco de luz e um pouco de sombra e isso é que os torna fascinantes. Apesar disso, acabam por ser muito diferentes e por possuírem qualidades e defeitos que os tornam únicos. As personagens que mais me cativaram foram Feyre e Rhysand. 
Feyre juntou os cacos da sua alma aos poucos, mas com muita garra e determinação. Aprendeu a lidar com o seu passado negro e ergueu-se como uma fénix, praticamente. Ela própria é uma mensagem: a luz não está no fim do túnel, mas no nosso interior. 
Rhysand é o perfeito exemplo de que, sim, há homens feministas. Há homens que não têm medo de mulheres fortes e têm orgulho nelas e ajudam-nas se elas precisarem. É, além disso, um homem que não tem medo de mostrar as suas fraquezas e de falar acerca delas. Apesar de ser uma criatura mágica, ele é muito humano.



DIFJSNALALCJDNENSKA OMYGODSOMYGODSOHMYGODS ITS SO PREFECT USUAUEISKDJAKXJ:
Fanart: Feyre, Rhysand, Amren, Morrigan, Azriel e Cassian (os últimos quatro nomes são grandes figuras da Corte da Noite, bem como os grandes amigos de Rhysand e, eventualmente, de Feyre).

A escrita de Maas continua impecável. Ela percebe que as palavras são um poço infindável de poder e usa-as com muita agilidade. É uma escrita que agarra facilmente o leitor e fá-lo desejar por mais.


Sarah J Maass A Court of Mist and Fury. To the stars who listen- and the dreams that are answered.:
Tradução livre: Para as estrelas que ouvem e os sonhos que são tornados em realidade.

Em suma, A Court of Mist and Fury é a continuação poderosa de uma história cativante e especial e vem reforçar o talento grandioso de Maas. Ainda bem que o terceiro livro sai este ano, pois quero saber como será o futuro destas personagens impressionantes.


Classificação: 5/5 estrelas.


P.S- O lançamento da edição inglesa do terceiro livro, A Court of Wings and Ruin, ocorrerá no dia 2 de maio de 2017. O livro já tem capa.











2 comentários:

  1. Adorei este livro, foi uma misto de emoções!
    O que mais gostei foi mesmo das personagens e da forma como interagiam tão bem e tinham um relação tão forte sendo tão diferentes. Rhys <3
    Mal posso esperar por A Court of Wings and Ruin!!!!

    The Midnight Court

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sem dúvida alguma que foi uma montanha-russa a nível emocional! Maas fez, de facto, um excelente trabalho ao criar estas personagens e construir relações entre elas. Também quero A Court of Wings and Ruin na minha estante o mais depressa possível! :D

      Eliminar