terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Opinião: Os 100, de Kass Morgan



Os 100 é o primeiro volume da trilogia de ficção científica de Kass Morgan. É-nos apresentada a Colónia, uma comunidade de seres humanos que conseguiu fugir a uma guerra nuclear que devastou a superfície terrestre. Os sobreviventes passaram a viver numa estação espacial que orbita o planeta Terra e têm esperanças que, um dia, voltarão a viver no planeta azul. No entanto, 100 anos depois, a estão espacial encontra-se desgastada e o oxigénio está a desaparecer. Por isso, o governo e os cientistas aprovaram o plano de enviar "cobaias" para o planeta Terra, a fim de verem se já era novamente habitável. Para isso, decidem enviar 100 jovens delinquentes que aguardavam por julgamento pelos crimes que tinham cometido. É a partir desta situação que temos pontos de vista diferentes de 4 jovens, sendo que 2 deles foram enviados para a Terra, um decidiu ir por livre vontade para defender quem mais ama e uma rapariga que ficou a bordo e que serve como forma de entendermos a grave situação vivida no espaço.



Resultado de imagem para the 100 gifs space
A estação espacial na série inspirada no livro, The 100.


Como podem constatar, o livro tem uma boa premissa: o Sci-Fi é adorado por muitos, principalmente quando a história se situa num ambiente pós-apocalíptico e espacial. Contudo, penso que tudo isto foi "tapado" pela própria autora, na medida em que ela preferiu focar-se em relações amorosas cheias de clichés e dramas que vemos muitas vezes retratados em séries televisivas direcionadas para os adolescentes. A autora não soube aproveitar a componente criativa e foi um pouco desleixada. Atrevo-me a dizer que Morgan escreveu esta história num ambiente típico da ficção científica por motivos comerciais. A escritora queria destacar-se, na medida em que já há muitos autores a escreverem histórias amorosas e ela decidiu ser um pouco diferente e decidiu que queria atrair mais leitores. É claro que muitos livros de Sci-Fi incluem relações amorosas, mas a história de Morgan exagera... Houve momentos ideais para introduzir aspetos científicos ou abordar outros assuntos sem ser os problemas sentimentais da juventude, como o significado de se ser humano, o valor da amizade, da família e da lealdade, mas "tudo o vento levou". Portanto, quanto ao enredo, não há nada de especial. O livro pode ser facilmente ignorado pela comunidade de leitores de ficção científica, pois não retrata nada de novo e está repleto de clichés.



As personagens são, como o próprio enredo, sensaboronas, principalmente os adolescentes. Ainda assim, também não gostei de nenhuma personagem adulta, uma vez que elas estão praticamente ausentes. Mas, em relação aos adolescentes, achei-os enfadonhos. Aliás, a autora tem bem presente que ser adolescente significa ser um jovem rebelde que não tem um cérebro e que só pensa nas vicissitudes do amor. Foi rara a personagem mais jovem que não tivesse um conflito amoroso... Foi pena esta abordagem exagerada dos problemas amorosos, pois cada personagem tinha mais camadas que mereciam ser devidamente exploradas. Um dos 4 jovens principais, a Glass, passou por situações péssimas, que se agravaram devido às leis impostas na estação espacial, mas isso não foi muito bem explorado porque ela tinha um namorado, mas tinham terminado a relação e a escritora só quis retratar a parte em que Glass não queria saber de mais nada a não ser reconquistar o amor da sua vida... E as outras 3 personagens foram pelo mesmo caminho, praticamente. Deste modo, fiquei desapontada com a falta de desenvolvimento em relação às personagens.


Resultado de imagem para the 100 gifs
Parte do elenco principal da série The 100.


Penso que o que salva esta obra é a escrita, que, pela sua simplicidade, nos faz continuar a ler. Todavia, não tenho mais a dizer. Não é suficientemente especial para se destacar.



Concluindo, Os 100 é a abertura vazia e seca de uma trilogia que prometia muito, mas não nos dá nada. Nada de novo e nada de interessante. Ainda assim, pode ser um primeiro passo suficientemente bom para quem seja um principiante no mundo da literatura de ficção científica.


P.S- Talvez tenha criado expetativas elevas devido à série televisiva baseada na trilogia de Kass Morgan, também intitulada de Os 100 (The 100, no original). A série é espetacular e cativa-nos facilmente, ao contrário do livro. Portanto, aconselho a visualização da série.



Classificação: 3/5 estrelas (dou 3 porque gostei da escrita, senão, teria dado 2.5)




2 comentários:

  1. Realmente a série é muito boa. Resta-me agora ler o livro. Bjinhos Daniela.

    ResponderEliminar