sábado, 30 de julho de 2016

Opinião: A vida no campo, de Joel Neto



A vida no campo é, sem dúvida, um "pequeno grande" diário de Joel Neto. Pequeno pela sua dimensão, mas grande por estar recheado de reflexões muito interessantes, de memórias fascinantes, de experiências gratificantes e de pessoas inesquecíveis. O autor olha para o exterior com uma curiosidade enorme, sem deixar de parte o seu próprio interior, que engrandece esta obra. Estamos perante um magnífico livro que é, sem dúvida alguma, uma homenagem à Natureza, às ilhas açorianas (principalmente à querida ilha do escritor, Terceira) e aos açorianos que, mesmo quando estão longe das suas terras, sempre as terão nos seus corações.


A escrita do autor flui, prende a nossa atenção e toca profundamente na nossa alma. É o tipo de escrita ideal para quando queremos mostrar o nosso amor por algo que nos é tão importante. O estilo de Neto reflete essa tal "vida no campo", ou seja, é simples e belo. Tudo é dito de forma muito sincera, carinhosa. É tudo muito apaziguador e natural. 


Gostei imenso das memórias e vivências partilhadas pelo escritor. Umas mais profundas, outras mais engraçadas. Há um pouco de tudo: sabedoria, simplicidade, alegria, saudade, tristeza, esperança. Neste livro, embora tenha sido escrito por uma só pessoa, sentimos a presença de todos os terceirenses e, consequentemente, de todos os açorianos


Em conclusão, A vida no campo é um livro autêntico. Para os açorianos, mostra o quanto orgulhosos deveríamos sentir por vivermos nestas lindas ilhas. Para os que não vivem nos Açores, mostra a essência de um ilhéu. É um belo tributo à Natureza, que não tem a atenção que merece atualmente.. Recomendo, portanto, a leitura deste livro que embeleza a Terceira de uma forma tão modesta e tão genuína.


Classificação: 5/5 estrelas (a partir de agora, a classificação será feita a partir de 0 a 5 estrelas).



Sem comentários:

Enviar um comentário