domingo, 10 de janeiro de 2016

[Opinião] Harry Potter e o Cálice de Fogo, de J.K. Rowling





Sinopse retirada do site da Bertrand:


Harry Potter nem quer acreditar na sua sorte! Afinal não vai ter de aturar os Dursleys até ao início do seu quarto ano em Hogwarts. Graças à taça Mundial de Quidditch vai passar os últimos quinze dias de férias na companhia dos Weasleys e do seu amigo Ron. Mas a verdade é que nem tudo vai correr pelo melhor para o nosso herói. Quando Harry começa a sentir a sua cicatriz a doer terrivelmente, sabe que Lord Voldemort está de novo a rondá-lo e a ganhar poder. A marca da morte, que apareceu no céu, não pode significar outra coisa...Entretanto, este é um ano muito especial para Hogwarts, pois é lá que se irá realizar o célebre Torneio dos Três Feiticeiros, no qual Harry vai desempenhar um papel decisivo e que quase lhe irá custar a vida!! Pela segunda vez, Potter vê-se frente a frente com Voldemort, e ele sabe que o maior desejo do poderoso senhor das trevas é vê-lo morto...




Opinião: J.K. Rowling continua a surpreender-me com a sua mente brilhante! A escrita é fluída e mágica como sempre, a ação torna-se cada vez mais cativante e as personagens desenvolvem-se de forma natural, fazendo-nos pensar que elas não existem no papel, mas sim no mundo real.


Neste quarto livro da tão famosa coleção Harry Potter, deparamo-nos com situações mais obscuras e sérias. Já não se trata de brincar aos feiticeiros e às bruxas e ficarmos maravilhados com o fantástico mundo criado por Rowling. A escritora, sem dúvida alguma, tinha um propósito ao criar a história sobre um menino de olhos verdes com uma cicatriz em forma de raio na testa: dar a conhecer a essência humana e traçar a linha entre o bem e o mal. Portanto, à medida que vou lendo a sua coleção, vou percebendo que os seus objetivos são efetivamente cumpridos.



Deste modo, quanto ao enredo, há uma maior densidade narrativa. Com isto, quero dizer que a história vai ganhando mais detalhes e as personagens evoluem conforme os obstáculos que ultrapassam. Adorei o Torneio dos Três Feiticeiros! Apesar de, de facto, ser um concurso perigoso, adoro a sua premissa: estabelecer laços entre feiticeiros internacionais. É uma ideia fantástica e, com ela, a autora fez um trabalho sensacional ao mostrar que, embora haja diferenças culturais e sociais, a união é fundamental em tempos sombrios. É por isso que eu acho que qualquer leitor ganha muito ao ler Harry Potter. É por isso que as crianças deveriam ler estes livros, uma vez que certamente aprenderiam muito com este rapaz de cabelo revolto que usa óculos esquisitos. Por exemplo, aprenderiam o valor inquestionável do amor e da amizade, que, mais uma vez, estão muito bem patentes neste livro. É incrível como Harry, Ron e Hermione ultrapassam as adversidades que prometem enfraquecê-los, mas, uma vez destruídas, apenas fortalecem a sua amizade. Um outro aspeto que pretendo realçar é o primeiro capítulo. É notável as diferenças entre os três primeiros livros da coleção e este quarto livro. Nos livros anteriores, a ação era mais leve e tudo se resolvia mais facilmente. Sim, havia precalços, mas sempre encontravam soluções, pelo menos, razoáveis, ao ponto de também encontrarem alguma paz. Todavia, é no primeiro capítulo de Harry Potter e o Cálice de Fogo que entendemos que as aventuras de Harry Potter tornar-se-ão mais complicadas e o pequeno feiticeiro e os seus amigos terão que percorrer caminhos mais tortuosos. Logo, há uma outra ideia que Rowling pretende transmitir: na nossa vida, passaremos muitos contratempos, mas será impossível ultrapassá-los e superar os nossos receios? Assim sendo, será que o nosso jovem herói, com a ajuda dos seus amigos, irá conseguir ultrapassar as suas dúvidas e aprender a acreditar em si próprio? Bem, é claro que sim!



Passemos, então, às personagens, que são o ponto forte das obras de Rowling. Tal como disse anteriormente, o primeiro capítulo é assombroso. E porquê? Porque aprendemos um pouco mais sobre Voldemort, ou Tom Riddle. Conhecemos um pouco mais sobre o seu passado, mas não muito, pois Voldemort é uma personagem misteriosa. Mais uma vez, percebemos o quão maquiavélico Voldemort consegue ser, já que é daquelas personagens que não olha a meios para atingir os seus fins. Já dava para perceber isso nos livros anteriores, mas é nesta quarta obra que essa característica de Voldemort é realçada. De seguida, temos mais aventuras de Harry, Ron e Hermione. Como sempre, temos um Harry que não consegue acreditar nas suas próprias capacidades mágicas, mas, aos poucos, vai entendendo que pode ser tão competente como qualquer feiticeiro. Aliás, pode vir a ser mais talentoso do que outros colegas seus. Depois, temos Ron, que é o comic "relief" da história. Inocente, mas brincalhão e espertinho, adoro as suas crises de ciúme, como também dos seus ataques de fúria perante as injustiças que ele vive. Já Hermione foi quem mais evoluiu neste livro. Vi um outro lado seu: defensora dos elfos e da igualdade social, a jovem feiticeira mostra garra ao deparar-se com cenas caricatas e é uma jovem muito astuta para a idade que tem, sendo, aliás, um excelente exemplo a seguir pelos mais novos. Não tem medo de defender o que é correto, não gosta de desistir e está sempre pronta para ajudar. Determinada, sagaz e brilhante, Hermione é tudo o que um feiticeiro de Gryffindor deve ser!




Por fim, quanto à escrita, não há muito a dizer. J.K. Rowling encanta, encanta e encanta. A sua escrita flui, deslumbra e abraça-nos, não nos deixando nunca aborrecidos. Deixa-nos sempre ansiosos e manda-nos virar a página, e mais uma página. J.K. Rowling é, para mim, um modelo a seguir, tal como Hermione é um exemplo para os mais jovens. J. K. Rowling é tudo o que eu quero ser: uma escritora bem sucedida que soube aproveitar a imaginação que tinha e soube usar o seu talento para criar uma história extraordinária e inspiradora!




Concluindo, adorei os percursos traçados pela escritora: início abruto, desenvolvimento da ação com novas particularidades encantadoras, como a Taça Mundial de Quidditch, o Torneio dos Três Feiticeiros e mais pormenores em relação a Voldemort e os seus aliados, e um fim estrondoso. Meu Deus, eu deixei de respirar nos últimos sete capítulos! Foram arrebatadores! Mal posso esperar por ler Harry Potter e a Ordem da Fénix, o quinto livro da coleção!



Classificação: 10/10 estrelas




Sem comentários:

Enviar um comentário