sexta-feira, 11 de setembro de 2015

[E se...] Everything, Everyhting, de Nicola Yoon


Aqui vai a segunda publicação na rubrica "E se..."! Desta vez, é dedicada a um livro que saiu no passado dia 1 de setembro: Everything, Everything, de Nicola Yoon.

Everything, Everything
Capa americana de Everything, Everything. O livro de Nicola Yoon chegou às livrarias dos EUA no dia 1 de setembro deste ano.


Nicola Yoon cresceu na Jamaica e em Brooklyn (Long Island, New York, EUA). Atualmente, vive em Los Angeles (California, EUA), com o marido e a sua filha, Everything, Everything é o seu primeiro romance. No seu site oficial, Yoon indica que é uma romântica incurável e está orgulhosa por ser um membro da equipa We Need Diverse Books (tradução: Nós Precisamos de Livros Diversificados).


A autora Nicola Yoon com um grande cartaz promocional do seu primeiro romance.

Everything, Everything é um romance que pertence ao género Young-Adults (Jovens-Adultos). É destinado a um público jovem, mas também pode ser lido por adultos. O livro fala-nos de Madeline Whittier, uma rapariga que é alérgica ao mundo exterior. Devido à sua doença rara, Madeline esteve sempre fechada em casa ao longo dos seus 17 anos de vida e só conhece uma pessoa: a sua mãe, e sua enfermeira, Carla. Ela até tinha uma vida satisfatória, até ter visto um rapaz com olhos da cor do Oceano Atlântico a mudar-se para a casa ao lado.  A obra é sobre a emoção e o sofrimento que ocorrem quando quebramos a nossa "concha" para fazer coisas loucas. Coisas, quase letais, que fazemos por amor.


Todo, Todo
A versão espanhola de Everything, Everything.
O livro causou furor mesmo antes de ser publicado, graças às cópias avançadas para leitura enviadas para os críticos, booktubers e bloggers. Foram poucos os que não ficaram muito surpreendidos com a história. Outros, adoraram-na e aconselham-na a todos os leitores que procuram por algo "novo" no mundo literário dos Young-Adults. Deste modo, dá para perceber o fator principal que contribuiu para o sucesso do livro: o enredo criado pela autora. Pelos vistos, Nicola Yoon criou uma história única: uma personagem com uma doença rara, mas que luta para poder viver; um rapaz que faz todos os possíveis para ficar com a rapariga que ama. Segundo as opiniões que eu li, o relacionamento entre eles, Madeline e Olly, é adorável, realçando a inocência da rapariga e a força de carácter do rapaz.

Du neben mir und zwischen uns die ganze Welt
Capa alemã de Everything, Everything.

Além disso, a personagem principal é afro-americana, sendo ainda de descendência asiática. Estes pormenores também ajudaram o livro a alcançar o seu êxito, pois, atualmente, os leitores "exigem" que os escritores criem personagens diferentes, diversificadas. Como referi anteriormente, Nicola Yoon é membro de We Need Diverse Books, um grupo que defende que, na literatura, deveria haver personagens diversificadas, bem como histórias que relatam casos de diversidade. Por exemplo, defendem a existência de personagens de raças diferentes, uma vez que, atualmente, há muito livros em que as personagens principais são brancas. Também defendem livros que abordam temas como a sexualidade (homossexualidade, transsexualidade, e questões raciais. Assim, a diversidade presente no livro de Nicola Yoon foi um ponto favorável para que a história da autora fosse bem sucedida.


Uma frase do livro: "O maior risco é não cometer um".

Um outro fator que levou à grande divulgação do livro foi a doença retratada na história: Síndrome de Imunodeficiência Combinada Severa. Esta doença é, de facto, real, mas rara. Normalmente, as pessoas não têm conhecimento desta doença, mas basicamente consiste na alergia ao mundo exterior. A maior parte dos leitores não conhecia esta doença e, por isso, ao verem que o livro era sobre uma personagem (fictícia) que a possui, tiveram curiosidade para lerem tal história.

tumblr_nao3qavW8M1sl6w2so1_500.jpg
As cópias de leitura avançada para os bloggers e booktubers.

Por fim, os leitores adoraram o livro porque, no seu interior há ilustrações lindíssimas, concebidas pelo marido da autora, David Yoon.


Embedded image permalink
Nicola Yoon com David Yoon, o seu marido. As ilustrações presentes no livro são da autoria do marido da escritora.



Concluindo, qualquer editora portuguesa, com uma boa estratégia de marketing, conseguiria arrecadar grande lucro com a publicação deste livro. Abaixo, deixo uma pequena lista que enfatiza os fatores principais para o sucesso do livro cá em Portugal:

1. No Goodreads, os leitores afirmam que a escrita é muito bonita;
2. O livro é um Young-Adult, um género que vê o seu êxito a aumentar diariamente no nosso país;
3. Aborda uma doença rara e pouco conhecida;
4. A personagem principal é diversificada: afro-americana com descendência asiática;
5. É narrada uma história muito diferente a outros livros que têm adolescentes como personagens principais.


Na minha opinião, o livro parece ser muito bonito! Seria fantástico se alguma editora portuguesa publicasse este romance :D


Embedded image permalink
A autora Nicola Yoon, o marido e a filha do casal. Como podem ver, esta família é muito diversificada ^^

Sem comentários:

Enviar um comentário