terça-feira, 14 de julho de 2015

Opinião: Um Caso Perdido, de Colleen Hoover



Sinopse retirada do site da Bertrand:

Preferia saber a verdade, ainda que isso fizesse de si um caso perdido, ou continuar a viver uma mentira?

Quando Sky conhece Dean Holder no liceu, um rapaz com uma reputação tão duvidosa quanto a dela, sente-se aterrorizada, mas também cativada. Há algo naquela figura que lhe traz memórias do seu passado mais profundo e perturbador. Um passado que ela tentou por tudo enterrar dentro da sua mente. 
Ainda que Sky esteja determinada a afastar-se de Holder, a perseguição cerrada que ele lhe dedica, bem como o seu sorriso enigmático, fazem-na baixar as defesas, e a intensidade da relação entre os dois cresce a cada dia. Mas o misterioso Holder também guarda os seus segredos, e, quando os revela a Sky, ela vê-se confrontada com uma verdade tão terrível que pode mudá-la para sempre. Será Sky quem ela pensa que é? E será que os dois conseguirão sarar as suas feridas emocionais e encontrar um modo de viver e amar sem limites?
Um Caso Perdido (Hopeless) é um romance intenso que o irá comover e arrebatar, ao mesmo tempo que o fará recordar o seu primeiro amor.




Opinião: Caros leitores, apesar de a sinopse indicar que este livro fala sobre o primeiro livro, não pensem que é uma história lamechas. Aliás, é uma história muito séria e complexa que trata temas como o amor, a amizade e a procura pela esperança nos momentos mais difíceis.

O enredo, como já disse, é complexo, mas é esse o primeiro ponto forte desta obra. Este livro apresenta reviravoltas muito inesperadas (só houve uma que já sabia, pois já tinha lido a sinopse do livro seguinte e percebi logo o que se passava), está carregado de sentimentos mistos e muito fortes e as personagens parecem ser extremamente reais. A autora está de parabéns por ter criado um livro tão doce, tão querido, mas também muito tocante e bem escrito ao abordar temas muito sério de uma maneira excelente. Esta história é marcante e, consequentemente, estará para sempre no meu coração. Chocou-me imenso, fez-me soltar lágrimas, mas também risos e sorrisos. Por isso é que digo que esta história faz-nos ter sentimentos mistos, contraditórios, mas isso tem como base o enredo, não por falhas da autora que, por mim, não apresenta nenhuma.

A escrita é também um outro ponto forte do livro. Simples, cativante, mas também recheada de sabedoria e de grandes emoções que nos fazem ficar irrequietos com o que pode acontecer a seguir. A escrita é, sem dúvida alguma, muito boa, arrebatadora e comovente. Além disso, a personagem principal, Sky, é a narradora e é uma adolescente de 17 anos, o que foi perfeitamente transmitido pela escrita: a voz de uma jovem que pretende viver, amar e lutar. Estava com muito medo em relação à escrita, pois o narrador é uma adolescente e, por isso, a escrita poderia ter sido demasiado infantil ou lamechas, coisas que os escritores fazem quando querem escrever sobre jovens mas, afinal, não sabem como é que eles realmente falam, entendem o que quero dizer? O que se passou neste livro foi completamente o contrário: Hoover sabia muito bem o que estava a fazer ao escrever este livro. Ela criou, de uma forma extraordinária, uma escrita complexa e cativante para uma adolescente complexa e cativante. Esta senhora tem, de facto, muito talento. Aliás, volto a referir, há muitas palavras sábias neste livro, palavras de encorajamento, de amor, de amizade, de esperança.

Outro fator essencial para a criação desta esplendida obra foi a elaboração de personagens diversificadas, complexas e muito reais. Cada uma tem as suas complicações. Cada uma tem a sua maneira de encarar os seus problemas. Cada uma tem os seus medos, os seus erros e as suas imperfeições. Cada um tem os seus sonhos, as suas conquistas e as suas qualidades. Adorei a força da Sky e a sua determinação para seguir em frente. Adorei a esperança, a persistência e a força de vontade de Holden, bem como a sua personalidade calorosa, amorosa.
Efetivamente, estas personagens principais foram as que ficaram mais marcadas no meu coração. Outras como Breckin (diferente por aceitar tão bem a sua sexualidade, mesmo com os obstáculos que tem que ultrapassar por causa dos preconceitos da sua família e dos seus colegas da escola), Six (diferente por não se importar com o que os outros pensam) e Karen (uma das grandes heroínas nesta história). Mais uma vez, congratulo a autora,por ter criado personagens que nos dão a sensação de serem verdadeiras, personagens que nos podem ensinar muito, bem como inspirar-nos.

Em suma, Colleen Hoover é, para mim, uma das grandes escritoras de romances de Young-Adults (penso que ela também tem livros que se inserem no New Adults). Tem uma escrita esplendida, sabe como criar um enredo complexo, absorvente e inspirador. Não quero revelar as reviravoltas do livro, mas a obra retrata temas extremamente pesados e sérios, como a violação e, de certa forma, o desaparecimento da magia da infância. No entanto, Hoover retratou esses temas de uma forma muito cautelosa e genuína, deixando palavras esperançosas para quem já passou por estas situações. Palavras que tocam no coração de qualquer leitor. Nota-se que a autora não escreveu isto para simplesmente ganhar dinheiro e fama. Ela escreveu uma história vinda do seu coração, uma história que, apesar de ser uma ficção, faz abrir os olhos do leitor e fá-lo ver o mundo que o rodeia de uma forma diferente, de uma forma mais realista, mas sem deixar de salientar que há sempre esperança num mundo cheio de maldade. Já comprei a continuação deste livro (aliás, está escrita na perspetiva de Holden. Ainda assim, de acordo com certos parágrafos que já li, será uma montanha-russa diferente, baseada na mesma história). Também vou tentar comprar um outro livro desta autora fabulosa que a Topseller publicou há pouco tempo, Amor Cruel. Para acabar, ACONSELHO VIVAMENTE A LEITURA DESTA OBRA MAGNÍFICA E ARREBATADORA!

Classificação: 10/10 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário