sábado, 6 de junho de 2015

Opinião: O Último Segredo, de José Rodrigues dos Santos




Sinopse retirada do site da Bertrand: Uma paleógrafa é brutalmente assassinada na Biblioteca Vaticana quando consultava um dos mais antigos manuscritos da Bíblia, o Codex Vaticanus. A polícia italiana convoca o célebre historiador e criptanalista português, Tomás Noronha, e mostra-lhe uma estranha mensagem deixada pelo assassino ao lado do cadáver. 

A inspectora encarregada do caso é Valentina Ferro, uma beldade italiana que convence Tomás a ajuda-la no inquérito. Mas a sucessão de homicídios semelhantes noutros pontos do globo leva os dois investigadores a suspeitarem de que as vítimas estariam envolvidas em algo que as transcendia. 

Na busca da solução para os crimes, Tomás e Valentina põem-se no trilho dos enigmas da Bíblia, uma demanda que os conduzirá à Terra Santa e os colocará diante do último segredo do Novo Testamento. A verdadeira identidade de Cristo. 

Baseando-se em informações históricas genuínas, José Rodrigues dos Santos confirma-se nesta obra excepcional como o grande mestre do mistério. Mais do que um notável romance, O Último Segredodesvenda-nos a chave do mais desconcertante enigma das Escrituras.



Opinião: 564 páginas.... de tortura e aborrecimento... Meu Deus, finalmente, acabei de ler este livro. O meu cérebro não aguentaria nem mais um dia com este "documentário" exaustivo...

Quando comecei a leitura desta obra, estava tudo a correr bem. Escrita simples e fluída, um certo toque de mistério. No entanto, o livro acabou por se tornar muito repetitivo, exaustivo e... nem sei mais o que dizer.

Realmente, a minha opinião não vai ser muito longa, pois vou resumi-la em aspetos positivos- que, para mim, são muito poucos- e em aspetos negativos.

Aspetos positivos:
- Escrita simples e fluída, como já tinha referido. De facto, o autor tem muito jeito nas descrições. Houve umas que gostei muito.
- Nota-se a profunda investigação que o autor realizou para escrever este romance.
- Oh... afinal não tenho muito mais para dizer.

Aspetos negativos:
- Enredo muito repetitivo, acabando por se tornar num enredo pobre. Estamos perante um assassino em série que matou três pessoas relacionadas, de qualquer forma, com estudos sobre Jesus Cristo. Após os assassinatos, deixa um enigma. Até aí, tudo bem. Contudo, acho profundamente irrealista que Tomás, apesar de saber muito acerca das suas áreas profissionais ou algo assim, soubesse os versículos da Bíblia, os significados do enigma, etc. E, claro, digo repetitivo porque sempre que havia um enigma, ele resolvia-o demorando uns segundos. Depois, passava "horas" (digo horas porque ele foi muito, mas mesmo muito exaustivo nas explicações) a explicar o enigma. Além disso, o enredo está recheado de "momentos de suspense" que, afinal, não são assim tão misteriosos. Eu descobria num instante o "mistério". Mas isso nem é o pior deste livro...

- Penso que o pior deste livro são as personagens. Credo... Aquela italiana irritou-me... Extremamente ingénua, nada profissional, nem sabia defender-se a si própria perante os recados machistas de Tomás. O que vale é que, no fim, percebemos porque é que ela agia desta forma. Ainda assim, irritou-me profundamente...
Outra personagem horrível foi Tomás... Quase tão péssimo do que a italiana... Machista, arrogante... Aliás, nem sei explicar muito bem. O pior dele foi mesmo os comentários machistas... Não quero saber se ele é um excelente historiador, uma vez que, tal como a italiana, também teve atitudes pouco profissionais.
Posto isto, o ponto mais fraco desta obra é, efetivamente, as personagens pouco profissionais e irritantes.

- Outro ponto a referir é, tal como tinha constatado anteriormente, a exaustão face às informações que nos são dadas acerca de Jesus Cristo e ADNs e coisas do género. Prefiro ver o canal História, então. É engraçado o facto de o escritor, numa nota final do seu romance, esclarecer que não pretende causa polémicas ou ferir suscetibilidades. Todavia, não acredito muito na parte da polémica. Ele, certamente, quis causar polémica! Não venham com história da Carochinha. Todos sabemos que, quando um livro retrata temas polémicos, acaba por ter boas vendas. Aliás, isso aconteceu com Dan Brown, quando publicou O Código Da Vinci. Deste modo, pelo amor de Deus... O autor português sabia o que aconteceria quando as pessoas apercebessem da polémica que existe neste romance. 

Concluindo, apesar de uma escrita simples e da grande investigação que se verifica nesta obra, e que é algo notável, houve momentos (muitos, informo agora) no livro que me irritaram profundamente. Nem tão cedo leio uma obra sobre Tomás Noronha...
Peço desculpa pela minha opinião rebuscada e, a meu ver, pouco fundamentada, mas não quero perder mais tempo a falar neste livro...

Classificação: 5.5/10 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário