sexta-feira, 26 de junho de 2015

DNF: Eragon, de Christopher Paolini


P.S- Para quem não sabe, DNF significa Did Not Finish, ou seja, é algo como Não Terminado. E foi isso mesmo que se passou com Eragon.


Estou a ler
Sinopse retirada do site da Bertrand:

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 6º ano de escolaridade, destinado a leitura autónoma e leitura com apoio do professor ou dos pais. 

Quando Eragon encontra uma pedra azul polida na floresta, acredita que poderá ser uma descoberta bendita para um simples rapaz do campo: talvez sirva para comprar carne para manter a família durante o Inverno. Mas quando descobre que a pedra transporta uma cria de dragão, Eragon depressa se apercebe de que está perante um legado tão antigo como o próprio Império.
De um dia para o outro, a sua vida muda radicalmente, e ele é atirado para um perigoso mundo novo de destino, de magia e de poder. Empunhando apenas uma espada legendária e levando os conselhos dum velho contador de histórias como guia, Eragon e o jovem dragão terão de se aventurar por terras perigosas e enfrentar inimigos obscuros, dum Império governado por um rei cuja maldade não conhece fronteiras.
Conseguirá Eragon alcançar a glória dos lendários heróis da Ordem dos Cavaleiros do Dragão? O destino do Império pode estar nas suas mãos...


Opinião: Só li 158 páginas e o livro tem 576. Nessas mesmas 158 páginas, estava a passar por uma tormenta. Sim, não estava a gostar nada da leitura. Apesar da escrita acessível, achei a ação muito "parada", na medida em que custa muito em avançar. Normalmente, gosto muito de descrições, mas este livro talvez exagera nesse ponto.

Um outro ponto que não apreciei muito foram as personagens. As personagens têm que ser extremamente bem construídas para que o leitor crie uma ligação com elas e, por sua vez, com a história. Bem, eu não senti nada disto com este livro. As personagens eram tão.. vazias... Não senti nada com ela, não criei nenhuma conexão com elas, com nenhuma delas.

Quanto ao enredo, até agora, não traz nada de novo face a outras histórias que se inserem na Fantasia. É verdade que não li muito do livro, mas soube a pouco. Aliás, estive a ler outras opiniões no Goodreads e uma grande parte dos leitores tem a mesma opinião: não é único e as personagens não são grandes coisas. Até tem uma leitora que comparou certos aspetos de Eragon com outros pontos do primeiro livro da trilogia d'O Senhor dos Anéis.

Um outro fator que deve ter influenciado a minha cabecinha ao longo da leitura é a etapa etária deste livro. Já na própria sinopse percebemos que é um livro juvenil, pois diz lá que é ideal para leitores do 6º ano. De facto, é verdade. Penso que deve ser um bom livro para jovens do 5º ao 8º, ou mesmo ao 9º ano. Sei que não é uma desculpa, até porque tenho 18 anos e adoro Harry Potter. Todavia, Harry Potter, na minha opinião, serve para todas as faixas etárias. Já Eragon, não me parece, pelo menos não é ideal para mim.

Concluindo, não consigo acabar a leitura deste livro. Comecei a lê-lo há uma semana e não passei das 158 páginas. O único aspeto positivo, para mim, é a escrita, que é bastante acessível e até apresenta bom vocabulário. No entanto, este livro não traz nada de novo, não é único, não traz novidades à Fantasia (claro que isto baseia-se no que li até ter desistido). 

Sendo assim, não irei atribuir uma classificação à obra, mas deixo um recado: leitores dos 12 aos 15/16 anos podem lê-lo, principalmente aqueles que não são "devoradores de livros". Como é um livro simples, de repente irão gostar dele.


Sem comentários:

Enviar um comentário