domingo, 24 de maio de 2015

Pausa na leitura de Teoria dos Limites, de Maria Manuel Viana

Irei ler
Sinopse retirada do site da Bertrand: A realidade é muito mais inverosímil do que a ficção, diz, a certa altura, uma das personagens deste romance. O aqui narrado parte da concepção fantasmática de um génio, uma espécie de mundo de ficção científica, com dois universos paralelos habitados por mónadas, essas substâncias simples, esses pontos metafísicos, essas individualizações infinitamente pequenas, como quartos sem portas nem janelas dentro de uma pirâmide cuja base tenderia ao infinito, onde bastaria uma ínfima coisa para passar de uma realidade para outra, e onde cada um de nós vê o seu duplo e pode escolher entre ser herói ou banal, amar ou resignar-se, sentir prazer ou raiva com a felicidade alheia, lutar pela liberdade ou jogar as regras do jogo, viver com dignidade ou ser passivo, aceitar a ignomínia ou revoltar-se, julgar o outro pondo-se no lugar dele, adoptar muitas perspectivas para perceber o todo, perguntar-se em que é que a ficção supera a realidade, se na beleza ou na construção não tão utópica quanto poderia parecer do melhor dos mundos possíveis.



A razão da pausa (postarei o que escrevi na minha conta do Goodreads): Eu não consigo, nem quero, continuar a leitura deste livro... Contém um enredo muito pesado, complexo... Uma autêntica teia de dramas, algo que não quero agora. Ao folhear o livro, já tinha percebido que não era simples e que, de facto, era totalmente diferente em relação a qualquer livro que eu já tinha lido na minha vida. No entanto, é uma leitura demasiado pesarosa para mim, que estou numa altura em que não tenho paciência para dramas exagerados e coisas do género... Ainda assim, sei que retomarei a esta leitura no futuro, pois tem boas classificações aqui, no Goodreads (4 e 5 estrelas), no entanto, agora, não é a altura ideal para ler um livro tão complexo como este. Ficará na estante à espera do melhor momento para continuar.

Sem comentários:

Enviar um comentário