quinta-feira, 26 de março de 2015

Faleceu o escritor português Luís Miguel Rocha (1976-2015)




«Luís Miguel Rocha afirmou-se como um dos mais conhecidos e bem-sucedidos escritores portugueses da atualidade, estando traduzido por todo o mundo. Privilegiando, nas suas narrativas, a ação e o mistério, Luís Miguel Rocha construiu uma obra em que os temas relacionados com a Igreja e o Vaticano eram centrais.», relembra a Porto Editora.


Luís Miguel nasceu em fevereiro de 1976, no Porto. Estudou na área de Humanidades até ao 12ºano e iniciou, mais tarde, a sua vida profissional como repórter de imagem, tradutor e guionista. Permaneceu em Londres durante dois anos, onde supervisionou guiões para produtores britânicos. Entretanto, voltou a Portugal e residiu no Porto, onde se dedicou exclusivamente à escrita.

Esta obra remete ao atentado ao Papa João Paulo II. Vendeu mais do que meio milhão de exemplares mundialmente.


Em 2005, publicou a sua primeira obra, Um País Encantado. Desde então, publicou Bala Santa (2007), A Virgem (2009), A Mentira Sagrada (2011) e A Resignação (2014). No entanto, foi com o romance O Último Papa que o autor foi consagrado, em 2009, como o primeiro português a entrar para a lista de best-sellers do New York Times. Após o sucesso internacional, publicou outro romance sublime, A Filha do Papa.

Este romance trata uma teoria acerca da misteriosa morte do Papa João Paulo I, envolvendo a maçonaria italiana.
Foi esta a obra que garantiu ao autor o seu lugar no top do New York Times.

O escritor Luís Miguel Rocha, de 39 anos, faleceu esta quinta-feira, dia 26 de março de 2015, vítima de cancro. Devido à sua doença, o autor esteve internado no Hospital de Viana do Castelo e, nos seus últimos dias, esteve em casa da família, em Mazarefes. O seu corpo estará na Capela das Boas Novas (Mazarefes), sendo que o funeral irá ser realizado na sexta-feira, às 16 horas, no cemitério local.



O romancista ficou conhecida pelas suas abordagens a «temáticas políticas dentro de um Estado chamado Vaticano que por acaso é onde se administra a Igreja Católica», como o próprio havia afirmado em entrevistas. Ainda assim, as suas obras são consideradas polémicas, sendo comparadas aos romances de Dan Brown, um autor norte-americano mundialmente conhecido pelas suas obras que retratam assuntos religiosos, como a Igreja e a sua relação com a Ciência.

As suas obras foram publicadas em mais de 30 países, como o Reino Unido, Polónia, Brasil, Alemanha, China, Croácia, Espanha, Itália e Estados Unidos da América.

Este livro fala explora os segredos do Vaticano.



P.S- Estas informações foram retiradas do site da TVI 24.

Sem comentários:

Enviar um comentário