quarta-feira, 9 de julho de 2014

Opinião: D.Maria II- Tudo Por Um Reino, de Isabel Stilwell

Estou a ler
Sinopse retirada do site da Bertrand: Com apenas 7 anos, Maria da Glória torna-se rainha de Portugal. Um país do outro lado do oceano que nunca havia pisado. A sua infância foi vivida no Brasil, entre o calor e os papagaios coloridos que admirava na companhia dos seus irmãos e da sua adorada mãe, D. Leopoldina. A ensombrar esta felicidade apenas Domitília, a amante do seu pai, imperador do Brasil e D. Pedro IV de Portugal. Em 1828 parte rumo a Viena para ser educada na corte dos avós. Para trás deixa a mãe sepultada, os seus adorados irmãos e a marquesa de Aguiar, sua amiga e protetora. Traída pelo seu tio D. Miguel, que se declara rei de Portugal, e a quem estava prometida em casamento, D. Maria acaba por desembarcar em Londres onde conhece Vitória, a herdeira da coroa de Inglaterra a quem ficará para sempre ligada por uma estreita relação de amizade. Aos 15 anos, finda a guerra civil, D. Maria pisa pela primeira vez o solo do seu país. Seria uma boa rainha para aquela gente que a acolhia em festa e uma mulher feliz, mais feliz do que a sua querida mãe. Fracassada a sua união com o tio, agora exilado, casa-se com Augusto de Beauharnais que um ano depois morre de difteria. Maria era teimosa, não desistia assim tão facilmente da sua felicidade e encontra-a junto de D. Fernando de Saxo-Coburgo-Gotha, pai dos seus onze filhos, quatro deles mortos à nascença.


Opinião: Este livro, como romance histórico, retrata a vida de uma mulher que foi nomeada rainha de Portugal aos 7 anos. Tendo tido um reinado atribulado, verificamos as várias fases da sua política, nomeadamente uma altura em que o liberalismo era defendido, opondo-se ao absolutismo. 
Claro que, como romance histórico, este livro apresenta uma boa carga de ficção que se interliga perfeitamente à parte histórica e verídica. Aliás, no final do livro, constatamos as várias fontes a que a autora recorreu para tornar o se romance mais real, tendo feito um excelente trabalho ao ter enriquecido o seu livro com muitos pormenores essenciais do reinado desta rainha.
Contudo, senti que algo faltava ao livro. Aliás, houve momentos em que pensei que nunca mais acabava. Não sei porque pensei assim ao longo da leitura, até porque a escrita é muito simples e fluída, apesar de ter verificado alguns erros. Ainda assim, devem ser apenas erros de impressão.
Também não me adaptei muito bem às personalidades das personagens. Foi muito difícil para mim que uma menina de 9 anos já soubesse controlar as intrigas daqueles que a rodeavam, ou que essa menina se atrevesse a desafiar os adultos, tal como, por vezes, desafiava o seu próprio pai.
Apesar de tudo isto, achei interessante as cartas que as personagens escreviam ou os textos de teor confessional. Penso que a autora encontrou uma boa forma de não se focar apenas na rainha D. Maria II.
Em conclusão, aconselho este livro a quem adora romances históricos muito detalhados onde se verifica uma boa pesquisa em relação ao período histórico relatado. Contudo, achei que, por vezes, o enredo foi um pouco maçudo; talvez porque eu não estou habituada a ler romances históricos ou porque prefiro outros géneros. Aliás, apesar de ter vontade de continuar a leitura, sinto que o livro não correspondeu muito às minhas expetativas, mas não quer dizer que tenha sido um livro desvalorizado ou aborrecido; até pelo contrário, porque penso que a quantidade de pormenores presentes no livro era uma quantidade que se justifica num romance histórico. Simplesmente, não estou habituada a ler este tipo de livros. 
Lamento que a minha opinião seja um pouco "desanimadora" em comparação às opiniões que já fiz a outros livros, mas isto não quer dizer que este não seja um bom livro. Por acaso, acho um livro que está muito bem escrito e é de simples compreensão, apresentando-nos detalhes fabulosos acerca deste período da nossa grande História portuguesa.

Classificação: 7/10 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário